Alterações celulares nos músculos

Envelhecimento também realiza alterações celulares nos músculos e reduz a quantidade de massa muscular no corpo. Esta perda de massa muscular é referida como sarcopenia. Felizmente, foi demonstrado que os efeitos prejudiciais da perda de massa muscular em pessoas idosas podem ser revertidos ou pelo menos retardados pelo exercício regular.

Tipos de fibras musculares e treinamento

A herança distingue porcentagens e quantidades de dois tipos distintos de fibras musculares.

Existem vários tipos de fibras musculares:

O tipo I – SO (oxidativo lento), fibras “vermelhas” oxidativas lentas com alto teor de mioglobina, alta capacidade de oxidação e fadiga lenta são usadas especialmente em cargas de resistência de menor intensidade.

Tipo II A – FOG (glicolítico oxidativo rápido) glicolítico oxidativo rápido com moderada capacidade de oxidação, alta capacidade glicolítica, contração rápida e fadiga moderada são aplicados em cargas moderadas a submáximas que acompanham os métodos aeróbio e anaeróbico de recuperação de energia.

Fibras glicolíticas rápidas do tipo II B-FG (fast glycolytic) com baixa capacidade de oxidação, maior capacidade glicolítica, rápida contração, mas fadiga rápida estão envolvidas no desempenho de potência e velocidade de intensidade máxima com o predomínio do metabolismo energético anaeróbico (Placheta, 1999).

Durante o trabalho muscular, os tipos individuais de fibras musculares são ativados de acordo com a intensidade da contração muscular. Quase exclusivamente fibras lentas são ativadas em baixas intensidades. Com o aumento da intensidade da contração, fibras oxidativas rápidas e, finalmente, fibras glicolíticas são ativadas gradualmente. Saiba mais acessando standrol preço.

Vale ressaltar que o sóleo, um músculo envolvido na postura e na deambulação, contém tipicamente 25% a 40% mais fibras do Tipo I, enquanto o tríceps possui 10% a 30% mais fibras Tipo II do que, por exemplo, bíceps Ketyian, 1998). Diferenças nas porcentagens e tipos de fibras musculares variam amplamente entre os adultos, por isso é importante descobrir que tipo de carga combina com você e funciona para certos grupos musculares. Assim, o conselho do tipo 10 ou 5-6 repetições não é baseado na verdade.